Siga-nos no Twitter

 

Obama recebe Harry em entrevista dez 2017Captura de Tela 2017 12 28 as 17.00.21O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aproveitou uma entrevista à BBC Radio 4’s Today, concedida ao Príncipe Harry, para advertir contra o uso irresponsável das mídias sociais e, de forma indireta, dar um puxão de orelhas no presidente Donald Trump, que faz das redes sua principal tribuna no cargo. A entrevista foi gravada em setembro, em Toronto, no Canadá, e divulgada nesta quarta-feira (27).

Obama fez o alerta de que o uso irresponsável das redes sociais acaba distorcendo a compreensão das pessoas sobre questões complexas e disseminando a desinformação. Sem mencionar o nome de seu sucessor, Donald Trump, o ex-presidente foi enfático em alertar sobre os riscos de se utilizar das mídias sociais sem critério. Para os americanos, não precisou recado mais direto.

Obama pediu às pessoas em cargos de liderança que não usem as mídias sociais de forma a promover a divisão. Ele advertiu que a internet corre o risco de reforçar os preconceitos das pessoas, levando a uma sociedade fraturada.

"Todos nós, na liderança, temos que encontrar maneiras pelas quais podemos recriar um espaço comum na internet", disse Obama. "Um dos perigos da internet é que as pessoas podem ter realidades inteiramente diferentes. Elas podem ser envolvidas por informações que reforçam seus preconceitos atuais", disse ele.

Obama não mencionou o nome do presidente dos EUA, Donald Trump durante a entrevista, que ele confirmou ser a primeira desde que deixou o cargo. O ex-Presidente tem sido bastante discreto quanto a opiniões sobre o governo Trump, uma tradição dos ex-presidentes dos EUA. Em contraposição, entretanto, a campanha e a presidência de Trump foram caracterizadas pelo seu uso franco do Twitter. E não raras vezes o presidente atual, numa ostensiva falta de preparo e de respeito com a liturgia do cargo de presidente, tem atacado a administração anterior, procurando se vangloriar das poucas coisas que tem feito na presidência.

Obama disse que era um desafio aproveitar ao máximo as oportunidades oferecidas pelas mídias sociais. "A questão tem a ver como aproveitamos esta tecnologia de uma forma que permite uma multiplicidade de vozes, permite uma diversidade de pontos de vista, mas, mesmo assim, não necessariamente leva a uma balcanização (fragmentação) da sociedade, permitindo maneiras de encontrar um terreno comum", disse ele.

Para Obama, é importante que as pessoas se desligassem e conhecessem outras pessoas em suas comunidades, "porque a verdade é que na internet tudo é simplificado e quando você encontra pessoas cara a cara, elas são complicadas", disse ele.

"Uma das coisas que queremos fazer, penso, é que estamos trabalhando com jovens para construir plataformas de mudança social", disse ele. "Certifique-se de que eles não pensem que apenas pelo fato de enviar uma hashtag, por si só, estariam provocando mudanças. Pode ser uma maneira poderosa de aumentar a conscientização, mas então você tem que entrar no caso e realmente fazer algo".

"Trabalho ainda a ser feito"

O príncipe Harry perguntou a Obama sobre como ele se sentiu no dia em que deixou o cargo de presidente, em janeiro deste ano. Obama descreveu sentimentos mistos.

"A sensação de que havia uma conclusão e que fizemos o trabalho de forma a preservar nossa integridade e nos deixarmos inteiros e que não mudamos fundamentalmente, acho que foi um sentimento de satisfação", disse ele.

"Isso foi misturado com todo o trabalho que ainda estava por fazer e preocupações sobre como o país avança. Mas, em geral, havia uma serenidade lá, mais até do que eu esperava".

Obama também prestou homenagem à ex-primeira-dama Michelle Obama, descrevendo-a como uma "pessoa espetacular, engraçada e calorosa", que, apesar de não ser politicamente envolvida, o apoiou durante todo o processo e “foi tão boa como primeira dama como nunca houve".

Ao ser perguntado por Harry, qual foi a maior mudança para ele, após os oito anos no cargo, Obama refletiu sobre um ritmo de vida lento e a nova liberdade que ele teve para decidir como concentrar suas atividades.

"As coisas que são importantes para mim não mudaram, ainda me importo em fazer dos Estados Unidos e do mundo um lugar onde as crianças tenham uma educação, onde as pessoas que estão dispostas a trabalhar arduamente possam encontrar um emprego que pague uma salário digno, que estamos conservando os incríveis recursos do nosso planeta para que as gerações futuras possam desfrutar da beleza deste lugar como nós desfrutamos", concluiu.

Obama disse que agora precisava "confiar mais na persuasão do que na legislação", mas que ele gostava de poder concentrar suas energias nas causas que mais lhe interessavam.

Recordando o que perdeu sobre a presidência, Obama mencionou sua equipe, a natureza e a intensidade do trabalho que eles fizeram - e poder viajar sem ficar preso no trânsito.   

Foto: Reprodução/Twitter                                                                                                          

Outros artigos sobre o tema                                                                                                           

Obama warns over divise social media use in Prince interview 

Obama é entrevistado pelo príncipe Harry e fala do perigo das redes sociais

Obama entrevistado pelo Príncipe Harry na BBC Radio

Redes Sociais

 redetwiter redeface redeflick  redelinkedin

bannerbotton livro