refugiados da malasia desesperoDiscriminados na terra de onde vêm, abandonados, vítimas de um “jogo do empurra” entre países da região, milhares de refugiados e imigrantes estão à deriva no sudeste asiático, em barcos que são verdadeiras prisões flutuantes”. (Publico, Lisboa).

Nas últimas semanas, o mundo tem assistido cenas que poderiam fazer parte de um filme de horror ou de catástrofe. Não é necessário ler nada sobre o tema. Basta ver as fotos, elas falam por si: mães desesperadas, mal conseguindo ficar em pé, pedindo por favor água e comida para os filhos. Crianças, com olhar de doentes e famintos, à beira dos barcos implorando por algum alimento.

São milhares de pessoas desesperadas, que fugiram de países pobres do Sudeste Asiático, principalmente Myanmar e Bangladesh, tentando achar um porto que as abrigue e alimente. Há dois meses homens, mulheres e crianças, famintos, esquálidos vagam no mar, após terem fugido de perseguição política ou da falta de opção nos países de origem. Leia artigo neste site.

Redes Sociais

 redetwiter redeface redeflick  redelinkedin

bannerbotton livro