A crise da GreciaA semana foi ocupada por notícias de que a Zona do Euro, essa entidade que vigia as finanças dos países-membros e, por extensão, dos europeus, apertou a Grécia para fechar um acordo, na hora em que grande parcela da dívida grega estava vencendo.

A Grécia é dos países europeus que mais sentiram a maior crise econômica da história recente. Quando observamos os números da Grécia, é quando descobrimos a severidade da crise que afetou todos os aspectos da vida dos gregos. Provavelmente foi o país europeu mais impactado pelos efeitos da crise econômica de 2008, muito devido a erros dos próprios gregos e a um passado de gastos perdulários, uma máquina pública inchada e a famigerada corrupção.

O The Wall Street Journal fez um apanhado dos principais números que impactam a economia grega ou a vida das pessoas.

  • 25%, é quanto a economia grega encolheu, desde o auge da crise econômica em 2008.
  • 25,8% dos gregos estão sem trabalho, conforme a agência nacional de empregos. Significava que em outubro de 2014, 1,2 milhão de pessoas estavam desempregadas.
  • A Grécia é o 3º país no ranking entre os pares europeus no percentual da população com risco de pobreza ou exclusão social.
  • 23,1% dos gregos viviam em risco de pobreza, conforme pesquisa do Eurostat.33,5% ou U$ 90 bilhões é o valor dos empréstimos não honrados, aqueles em que os devedores deixam de pagar por mais de 90 dias, de acordo com o Banco Central da Grécia.
  • 70 bilhões de Euros foi o quanto saiu dos bancos gregos nos últimos cinco anos, segundo cálculos do Banco Central do país.
  • 83,9% do mercado acionário grego caiu desde 2008.
  • 1 em 4 pequenas ou médias empresas fecharam desde 2008, conforme a federação das indústrias da Grécia. Em números representa 230 mil empresas.
  • 9 vezes mais tipos de impostos, foi quanto os profissionais autônomos tiveram que pagar em 2014, segundo o escritório de orçamento do governo.
  • 7 vezes mais em valor de impostos, foi quanto os empregados e pensionistas gregos tiveram em 2014 em relação a 2009, por exemplo.
  • 23% é o percentual de impostos que os gregos tiveram que pagar a mais, sobre bens. A média dos impostos na Eurozona é de 21,5% e na União Europeia é de 20,5%.
  • 100.000 é o número de cientistas gregos trabalhando fora do país, e acordo com o Departamento de Economia da Universidade da Macedônia.

Redes Sociais

 redetwiter redeface redeflick  redelinkedin

bannerbotton livro