Pilula_sheringPode ter passado despercebido. Mas nove anos depois do grave erro do Laboratório Schering, quando dezenas de mulheres engravidaram por erro na fabricação de pílulas, a Schering foi condenada pelo STJ-Superior Tribunal de Justiça  a pagar indenização coletiva de R$ 1 milhão por danos morais, resultado de ação movida pelo Estado de S. Paulo e Procon, em benefício das mulheres que engravidaram com o anticoncepcional Microvlar, sem princípio ativo, em 1998.

O caso das pílulas de farinha prejudicou muitas mulheres em S. Paulo, Minas Gerais e Goiás, quando 600 mil comprimidos foram postos à venda utilizando placebo e não o anticoncepcional correto. Na época a empresa gastou milhões de reais em explicações. A Schering ainda hoje alega que os comprimidos sem princípio ativo (placebos), usados em testes de um equipamento de embalagem, tiveram as embalagens furtadas no primeiro semestre de 1998 e depois foram comercializadas sem o conhecimento da empresa.

A empresa à época não tinha assessoria de imprensa e tentou eximir-se de culpa nos primeiros dias. Houve um desgaste muito grande, que afetou a reputação da empresa e, certamente, reduziu as vendas. O caso Schering é emblemático na gestão de crise. Uma sucessão de erros afetou a credibilidade do Laboratório, tornando-se sinônimo de como não se deve conduzir uma crise.  A empresa só comentou o assunto um mês após a denúncia. E demorou a montar um serviço de assistência às pessoas atingidas pelo erro.

Após um período de desgaste, a Schering conseguiu reduzir o impacto negativo do erro e reeguer sua imagem com a contratação de empresa especializada em crise. Mesmo assim, oito anos depois o fantasma da crise das pílulas volta e continua a assombrar a imagem da Schering.


A propósito dessa história, é interessante ler a petição dos advogados Edilberto de Castro Dias e Alexandre Bizzotto, de Goiânia, que representaram uma usuária da pílula, em ação contra a Shering. Mesmo considerando ser uma peça jurídica, voltada para a acusação do laboratório, é interessante para conhecer o case em toda a sua extensão.

Redes Sociais

 redetwiter redeface redeflick  redelinkedin

bannerbotton livro